A pandemia de COVID-19 exigiu uma grande mudança em todos os nossos hábitos e mesmo hoje quando já vemos uma certa normalidade acontecendo, algumas medidas adotadas lá nos tempos de pico da doença, devem prevalecer por um longo período, como a medição de temperatura.

No início, era muito comum nos depararmos com filas para entrar em shoppings e supermercados, por exemplo, já que o procedimento estava sendo realizado individualmente. Porém, a tecnologia avançou rapidamente e a prática foi otimizada com as câmeras termográficas.

Esses equipamentos contam com recursos capazes de aferir temperaturas em massa, resultando em uma diminuição do contato próximo entre funcionário e clientes e, também, em mais segurança nos ambientes. 

Abordando um pouco mais sobre o assunto, no intuito de apresentar algumas importantes características sobre as câmeras termográficas, vamos explorar neste artigo a diferença deste para o modelo térmico, e alguns mitos e verdades sobre a tecnologia.

Câmera térmica e câmera termográfica são a mesma coisa?

Muitos ainda confundem câmera térmica e câmera termográfica. Porém, apesar da tecnologia basicamente ser a mesma, elas possuem funcionalidades diferentes. 

A câmera térmica surgiu como uma necessidade militar para que fosse possível detectar pessoas ou animais a partir da temperatura dos corpos em ambientes externos. São usadas principalmente para monitorar fronteiras ou florestas, mas sem a capacidade de identificar estados febris, por conta da alta variação de temperatura. 

Já a câmera termográfica, que foi baseada na tecnologia das câmeras térmicas, apresenta uma variação menor, tornando-se apta para aferir a temperatura corporal, que normalmente vai de 35°C a 42°C, e detectar uma possível febre.

7 Mitos e verdades sobre câmeras termográficas

Apesar de não ser uma novidade, essa tecnologia que se tornou mais presente durante a pandemia, ainda levanta dúvidas quanto a sua utilização. Confira alguns mitos e verdades a respeito:

Há 100% de precisão na medição de temperatura com essas câmeras?

Mito. A tecnologia tem avançado muito nos últimos tempos, porém, a câmera termográfica ainda não tem 100% de assertividade. A variação de temperatura vai depender do fabricante, que pode ficar entre 0,5°C até 1°C. Nesse caso, para realizar a correção, pode-se usar a tecnologia de um equipamento denominado Black Body, que chega a uma precisão de 0,3°C, muito importante para identificar um caso de febre efetivamente. 

A câmera termográfica detecta temperaturas de pessoas em movimento?

Verdade. Essas câmeras foram criadas para detectar pessoas em movimento, no propósito de dar vazão à entrada, realizando a medição de temperatura em várias pessoas ao mesmo tempo.

A tecnologia pode ser usada como única forma de triagem?

Mito. As câmeras termográficas não são homologadas pelo Inmetro, então não é possível barrar a entrada de uma pessoa em um estabelecimento apenas com a detecção realizada pelo aparelho. 

Por isso, em caso de ser detectada uma temperatura acima do normal, a recomendação é orientar a pessoa a aguardar um pouco, pois se ela chegar ao local correndo em um dia muito quente, por exemplo, pode interferir na aferição. 

Além disso, também pode ser utilizado um termômetro clínico ou chamar um profissional da saúde para realizar a checagem.

A câmera termográfica não deve ser instalada em ambientes externos?

Verdade. As câmeras termográficas não foram desenvolvidas para operação em ambientes externos. Isso porque, na maioria dos fabricantes, a temperatura de operação vai de 16°C a 35°C, ou seja, em dias muito quentes, ou muito frios, o equipamento não vai funcionar corretamente. 

Ainda há outro problema, que é a variação de temperatura externa, onde o sol refletindo nos objetos ou mesmo o vento podem impactar na precisão da medição da temperatura. Dessa forma, é recomendado instalar qualquer câmera termográfica em ambientes internos, que não sofram essas alterações.

A única funcionalidade das câmeras termográficas é medir a temperatura?

Mito. Todas essas câmeras possuem duas lentes: a termográfica, que faz a medição da temperatura, e a visual, que é uma lente comumente utilizada em outras câmeras de monitoramento. Sendo assim, as câmeras termográficas podem ser usadas para detectar casos febris e também para monitorar o ambiente. 

O equipamento pode ser usado como “detector de incêndio”?

Mito. Dependendo do foco do incêndio a temperatura pode ser muito mais alta do que a capacidade de operação das câmeras termográficas. O indicado para casos de incêndio são as câmeras térmicas. 

Todas as câmeras termográficas precisam do CR (Certificado de Registro do exército)?

Mito. Apenas as câmeras térmicas precisam do CR, pois se enquadram no PCE (Produtos Controlados pelo Exército), sendo necessário que as empresas envolvidas passem por uma vistoria rigorosa por fiscais militares para identificar de qual forma os equipamentos serão aplicados.

Deste modo, toda a cadeia deve ter o CR quando se trata de uma câmera térmica, incluindo a empresa integradora, o cliente final, o distribuidor e o fabricante. 

Trouxemos aqui alguns dos mitos e verdades sobre as câmeras termográficas para que você tenha um pouco mais de conhecimento sobre essa tecnologia, que tem otimizado a medição de temperatura corporal na entrada de estabelecimentos, hábito que se tornou comum durante a pandemia. 

A Seal Telecom possui uma ampla experiência em projetos de segurança empresarial, com soluções end-to-end, incluindo um grande portfólio de tecnologias eficazes e criativas. Todos os projetos são realizados por equipes próprias altamente qualificadas, antecipando problemas e soluções, no objetivo de oferecer um ambiente com uma estrutura de qualidade e com a segurança adequada.

Entre em contato com nossos especialistas para saber mais sobre a nossa solução.

seguranca

Deixe aqui seu comentário:

2020 © Seal Telecom